4 sérios problemas gerados pela ansiedade infantil


A ansiedade é um problema mundial que atinge adultos e crianças, e que em razão do novo Coronavírus e da quarentena imposta em todos os países, em menor ou maior grau, aumentou consideravelmente nos últimos meses. A ansiedade infantil tem preocupado pais, mães e responsáveis. Afinal, ela é responsável por alterações de sono e humor da criança, queda no desempenho escolar, entre outras consequências danosas para o pequeno. A boa notícia é que ela pode ser evitada e tratada. Neste artigo, enumeramos 4 sérios problemas gerados pela ansiedade infantil e damos dicas de como evitar esse gatilho. Boa leitura.

Ansiedade infantil: por que este mal afeta as crianças? Estima-se que a ansiedade infantil atinge até 15% das crianças no mundo. A ansiedade infantil pode ter fatores genéticos, mas também pode estar relacionada ao ambiente em que a criança vive e às relações que estabelece, principalmente, dentro de sua própria casa. Este problema é tão comum que o psiquiatra e escritor Augusto Cury define a ansiedade infantil como o mal do século. Um dos motivos que explica o número alto de crianças que sofrem com ansiedade é o mundo tecnológico no qual elas nascem. A geração Alpha aprende desde cedo que quase tudo é possível de ser resolvido por meio de um botão, um clique, uma tela. O conhecimento, para o bem e para o mal, está a um passo dos pequenos. E isso, mesmo que inconscientemente, ajuda a gerar a ansiedade infantil, já que nem sempre é preciso raciocinar, pensar e definir. Além disso, as novas tecnologias estão criando crianças cada vez mais imediatistas. E, então, quando elas se deparam com algum desafio do mundo real e percebem que nem tudo é possível resolver com um clique, elas se frustram, ficam estressadas e ansiosas. A ansiedade infantil, quando não tratada, pode causar sérios problemas para a saúde física e, especialmente, emocional da criança. A seguir, enumeramos 4 consequências deste mal. Confira!

1 – Depressão infantil Uma das consequências mais tristes e danosas da ansiedade infantil é a depressão. Triste porque nada mais dolorido do que uma criança apática, que não se alegra com atividades típicas deste incrível mundo ingênuo e infantil, como brincar, correr e se divertir. Além da apatia, a depressão infantil pode gerar pequenos com baixa autoestima, inseguros e com sentimento de incapacidade. Essas características não saudáveis podem se refletir no baixo desempenho escolar, em problemas de relacionamentos, timidez excessiva e até em atraso no desenvolvimento infantil. Se não tratada na infância, essas crianças serão adultos com dificuldades para enfrentar desafios. É preciso olhar com cuidado para este tema, pois, a OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que nos próximos 20 anos, a depressão deverá tornar-se a doença mais comum do mundo. Crianças depressivas tendem a se tornar adultos doentes. É papel dos pais ajudar seus filhos a conhecer e atuar sobre suas próprias emoções. Sabendo que elas, as emoções, são imprevisíveis, não podemos diminuir o sofrimento alheio, sobretudo o das crianças, que ainda estão aprendendo a reconhecer os sentimentos. Quer um exemplo prático? Frases como "engole o choro", "homem não chora", "isso não é nada", "pare de chorar" podem gerar uma ansiedade, além de frustração. Converse, explique, dialogue para ajudar as crianças a reconhecerem e nomearem as emoções. 2 – Síndrome de Burnout Crianças exaustas, estressadas e depressivas não trazem bons sinais, porque naturalmente elas são sinônimas de alegria e energia. As características descritas na frase anterior podem descrever a Síndrome de Burnout, uma das possíveis consequências da ansiedade infantil. OK, você pode ter estranhado este nome, pois já deve ter o ouvido como diagnóstico em pessoas de profissões estressantes como médicos e policiais. Mas saiba, meninos e meninas pequenos também podem apresentar a Síndrome de Burnout. Nas crianças, esta doença pode ser gerada pela cobrança própria do pequeno ou de seus familiares para alcançar certos objetivos ou pelo excesso de atividades. Como identificar se seu pequeno sofre deste mal? Queda no desempenho escolar, falta de disposição para brincar e seriedade atípica para a idade são alguns sinais. Além disso, as crianças com Burnout podem apresentar, entre outros sintomas:

  • Dores de cabeça;

  • Alterações no apetite, no sono e no humor;

  • Dificuldades de concentração;

  • Alteração nos batimentos cardíacos.

  • Cansaço excessivo.

3 – Irritabilidade e tristeza Já citamos neste artigo sobre a natureza alegre das crianças. Mas, infelizmente, a ansiedade infantil desencadeia emoções e sentimentos contrários à alegria, como a irritabilidade e a tristeza. Além disso, crianças agressivas consigo e com os outros também podem estar sofrendo de ansiedade. É importante que pais tenham com seus filhos uma comunicação saudável, estarem abertos a falar sobre seus problemas e desafios. Certamente este hábito ajudará a formar crianças com elevada autoestima e autoconfiança (e consequentemente, menos ansiosas). Os adultos devem estar atentos ao sinais e sintomas da ansiedade infantil. Além dos já citados até aqui, a respiração ofegante, a dificuldade de expressar suas emoções, medos e fobias são alguns alertas.

4 – Atraso no desenvolvimento infantil A ansiedade infantil pode desencadear insônia e dificuldades para se alimentar de maneira saudável. Ela ainda prejudica a rotina da criança e as relações que ela estabelece com seus pais, professores e amigos. Todos esses fatores prejudicam a saúde física e emocional, podendo provocar um atraso no desenvolvimento infantil. Além disso, pode resultar em crianças excessivamente tímidas, fazendo com que elas percam uma importante fase da infância. Pois, nos primeiros anos, é quando elas têm suas primeiras lições sobre respeito (a si e aos outros). Começam ainda a desenvolver características como sociabilidade, autonomia, altruísmo, autoestima e a capacidade de resolver problemas. Habilidades estas que as auxiliam a lidar com as próprias emoções e a se tornar independentes. Desta forma, formam-se pessoas bem-sucedidas pessoalmente e profissionalmente. Como evitar a ansiedade infantil Como você viu a ansiedade infantil pode gerar sérios problemas na infância. No entanto, evitar esse gatilho não é tão difícil. Veja:

  • Mostre para seu pequeno que ele tem você, e que ele sempre poderá contar contigo. Além disso, evite criar expectativas falando constantemente sobre planos para o futuro.

  • Esteja atento para situações que gerem ansiedade na criança, como algo relacionado à tarefa escolar, às aulas online ou a locais onde ela se sente desconfortável, por exemplo.

  • Ajude seu pequeno a lidar com o tédio de maneira saudável. O tédio é um sentimento próximo da ansiedade, pois, naturalmente, as crianças estão acostumadas, e têm energia para tal, ao movimento, a liberdade de brincar e se divertir. Ao se privarem das atividades que estavam acostumadas elas tendem a se tornar ansiosas. Lê-se como estas atividades a escola, os amigos, o recreio, por exemplo. No entanto, as crianças precisam aprender a vivenciar os momentos de tédio sem sofrimento. Uma boa dica para ajudá-las é incentivar a leitura. A leitura infantil tem inúmeros benefícios, tais como a cultura, a educação, o estimulo da criatividade e do autocontrole.

  • Incentive as crianças a exercitarem a paciência com situações da rotina delas. Para isso, estimule brincadeiras educativas como jogos mentais e a leitura. A Dó Re Mi está aqui para ajudar, pois acredita que a educação socioemocional é a principal ferramenta para aprimorar a relação da criança com o mundo, evitando diversos problemas como a ansiedade infantil.